Páginas:   1  2 Anterior   PróximaP.aacute;gina Anterior

Artigos

Portaria nº 28 do Comando Logístico do Exército autoriza o TRANSPORTE de arma municiada por atiradores desportivos

É imperioso que todos se manifestem exigindo mudanças, pois a edição do novo decreto sobre armas, o R-105, afetará a vida de todo proprietário legal de armas de fogo e não somente a dos CACs

 

Reinaldo Azevedo fala sobre armas e só há duas opções: ou é ignorante ou é mentiroso!

Tempos atrás Reinaldo Azevedo se posicionou, em seu programa Os Pingos nos Is da Rádio Jovem Pan, contra a revisão e modificações no chamado Estatuto do Desarmamento. Seu posicionamento ocorreu depois que o MBL, Movimento Brasil Livre

 

Desarmamento e Desonestidade Intelectual

Entrevista com ILONA SZABÓ,
concedida a Marcelo Moura.
A matéria é sobre a liberação das drogas, tendo como título “Barroso é corajoso ao propor a regulação da cocaína”
Na primeira linha, consta que “Em 2000, Ilona Szabó coordenou a campanha do desarmamento”

 

Los Angeles e Espírito Santo - uma comparação histórica

Quando os brasileiros aprenderão que não podem confiar no Estado?

No dia 29 de abril de 1992 um júri do estado da Califórnia (EUA) absolveu quatro oficiais do Departamento de Polícia de Los Angeles (todos eles brancos), de agressão contra o motorista negro Rodney King após uma perseguição em alta velocidade. A agressão dos policiais foi filmada e divulgada na televisão

 

 

São Gabriel Possenti

Comemora-se em 27 de fevereiro o Dia de São Gabriel da Virgem das Dores, como se verifica, por exemplo, no blog Liturgia Tradicional

FEBRUARIUS

[...]

27. Alb. Feria II. S. Gabrielis a Virgine Perdolente C., III cl. – Off. ordinarium. – L. 1 et 2 (= 2 et 3) de Scr. occ., 3 de festo, Te Deum.

 

POR QUE NÃO TE CALAS, RAUL:

Cel PAES DE LIRA novembro de 2007

O Estatuto do Desarmamento foi aprovado em 23/12/2003, pelo pouco democrático modo da votação simbólica de lideranças, quase na noite de Natal, com o Congresso praticamente às moscas. Seus proponentes, para coroá-lo, inseriram-lhe um Referendo, ladinamente idealizado como um “show” político que resultaria na proibição pura e simples do comércio lícito de armas e munição e, portanto, na criminalização absoluta da autodefesa.

 

DEVEMOS LIBERAR AS ARMAS? SIM

Denis L. Rosenfield: “O direito à autodefesa é pilar de uma sociedade livre e democrática. No Brasil, os bandidos continuam a ter acesso livre às armas de fogo e o cidadão fica à mercê dos criminosos”

DENIS LERRER ROSENFIELD

É professor de filosofia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Publicou os livros: Descartes e as peripécias da razão (1996) e Justiça, democracia e capitalismo (2010), entre outros.

E-mail: denisrosenfield@terra.com.br

 

DA AQUISIÇÃO DE ARMAS POR CIVIS – DIREITO NEM SEMPRE RESPEITADO PELO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

São inúmeras as reclamações que temos recebido de participantes do Pela Legítima Defesa relativas às negativas da Polícia Federal em autorizar a compra de uma arma ou de uma segunda ou terceira até o limite de seis armas ao cidadão que preenche todos os requisitos